Uma proposta polêmica que começou pequena com o grupo de ativistas LGBT 4Chan, vem se popularizando e literalmente polarizando a comunidade LGBT com a hashtag #DropTheB já estando entre os assuntos mais comentados do meio na Internet fora do Brasil.

Não é de hoje que existem propostas de se atualizar a sigla LGBT e inclusive há todo tipo de uso e diferentes versões da mesma sem qualquer consenso. Mas a ideia polêmica do grupo é por se propor a excluir a letra B da sigla LGBT. Apesar de parecer algo insano e excludente a princípio, a intenção, segundo o movimento, é que os conceito de bissexualidade precisa ser atualizado, uma vez que hoje em dia, existem muito mais de apenas 2 gêneros, como sugerem os posts abaixo:

Mas isso não seria a pansexualidade? Bem, alguns defendem que a diferença entre pansexualidade e bissexualidade se dá justamente porque, a princípio, bissexual seria quem sente atração por homens e mulheres. Acontece que não existe um consenso se isso inclui pessoas trans. Para algumas pessoas, a atração por homens e mulheres trans já configuraria uma pansexualidade, assim como a atração por travestis, pessoas de gênero fluido, não binários. Segundo os que defendem a mudança na sigla excluindo ou atualizando o B, e analisando desta maneira, a letra B é que seria de fato excludente.

Um adendo pessoal aqui: eu como gay cis e namorando um homem trans, não me sinto e nem me considero pansexual. Continuo gayzaço sendo homem que sente atração por homem e ponto. Se este homem é cis ou trans, sinceramente não acredito que isso mude minha orientação sexual que se dá pelo mesmo gênero, logo, gay. Ou seja, no meu caso, se bissexualidade de fato for algo que considere apenas atração por homens e mulheres cis, eu também poderia considerar uma letra desatualizada e excludente no contexto mais atual.

Entretanto, também há quem considere que bissexuais são simplesmente pessoas que gostam de pessoas. Ufa! Mas não seria mais correto então neste caso se dizerem pansexuais? Ou será que teria como a bissexualidade ser mantida na sigla e ter seu conceito atualizado ao mundo atual considerando em sua letra também as pessoas que transcendem a questão de gênero citadas no parágrafo acima?

E neste caso de se atualizar o conceito de bissexualidade, não acabaria caindo então a pansexualidade? Não é simples, né? Mas a sexualidade humana também não é.

Mesmo no meio LGBT não existe um consenso absoluto sobre as diferenças entre bissexuais e pansexuais. Sobre o movimento #DropTheB, as opiniões diferem e a discussão está apenas começando. Uma rápida busca no Twitter pela hashtag da campanha mostra isso:

“Os tempos mudaram e os termos precisam ser atualizados”, disse a ativista @Sharon Marmalaid em um post defendendo o #DropTheB.

“Precisamos de mudança! Hoje em dia já existem MUITO MAIS de 2 gêneros! #droptheb”, afirmou @natelewis1987 no Twitter também a favor de que a letra B caia da sigla.

E claro que também tem a turma contra o movimento, que quer manter a letra ali e não vê qual o problema de se atrair por 2 gêneros e ponto, considerando a questão mais uma prova da bifobia até:

“Demorou muito até eu entender que me sentia atraído por homens e mulheres. Não tirem isso de mim. Não tirem de ninguém. Vamos manter o pouco que conquistamos para nos definirmos, por favor, gente. #DropTheB”, tuitou o usuário @solarbri97.

“Esse #DropTheB é a coisa mais ridícula que já vi. Bifobia é um problema da comunidade LGBT e agora querem nos apagar? (…) Bissexuais estão aqui pra ficar, aceitem!”, afirmou @witch_bitchxo

Não é de hoje que bissexuais acabam dividindo opiniões no meio, uma vez que, muitas vezes suas lutas se juntam com a do movimento lésbico ou gay, uma vez que de outra forma, eles já tem seus direitos garantidos quando em uma relação heterossexual.

Ao mesmo tempo, também é importante lembrar que esta é uma letra alvo de preconceito de todos os lados, muitas vezes entre heteros, que juram por aí que bi é uma fase por exemplo, enquanto homossexuais que muitas vezes afirmam que estes são pessoas que “ainda não se assumiram totalmente”. Ambos preconceitos, é claro. Cada um é um e sentir atração por mais de um gênero é tão possível quanto sentir atração pelo gênero oposto quanto pelo mesmo.

(continua abaixo)


Veja também:


Mas e aí? Estaria o movimento #DropTheB certo? Errado? Será que não precisamos só de uma atualização no conceito de Bissexual? Ou será que a letra B realmente não é excludente com algumas pessoas? E se a sigla virasse LGPT considerando pansexuais como as pessoas que sentem atrações por pessoas independente do gênero, sendo esta uma letra com a qual muitas pessoas, principalmente dentre as gerações mais jovens, se identificam?

Ufa! Parece que há quase tantas hipóteses quanto variações de gêneros e orientações hoje em dia…

O que você acha? Comente abaixo!

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).