A União Europeia anunciou novos planos para proteger os Direitos LGBTQ+ na última semana.

A medida é vista como uma resposta ao crescente ódio e retórica anti-LGBTQ+ em países como Polônia e Hungria, onde a extrema-direita tomou o poder e crimes contra esta população aumentaram.

Segundo a Out.com, foram apresentadas uma nova série de ações para combater a discriminação dentro dos estados membros da União Europeia, bem como fornecer apoio às principais partes interessadas nas comunidades LGBTQ+ locais.

“Todos devem se sentirem livres para serem quem são – sem medo ou perseguição”, disse Vera Jourove, vice-presidente da UE para valores e transparência, em um comunicado.

Ela continuou: “É disso que se trata a Europa e é isso que defendemos. Esta é a primeira estratégia a nível continental que irá reforçar os nossos esforços conjuntos para garantir que todos sejam tratados de forma igual.”

Bandeira da União Europeia (Foto: Divulgação)
Bandeira da União Europeia (Foto: Divulgação)

Já Helena Dalli, da Comissão Europeia para a Igualdade, afirmou: “Igualdade e não discriminação são valores centrais e direitos fundamentais na União Europeia”.

O plano traçado na semana passada consiste em quatro elementos básicos: combater a discriminação, garantir a segurança, proteger os direitos das famílias homoafetivas e apoiar a igualdade LGBTQ+ em todos os países membros, além de promovê-la pelo mundo.

Parte das medidas inclui exigir dos países, leis que criminalizem a discriminação LGBTfóbica, além de cobrar investimentos em educação e contra discursos de ódio na Internet.

As medidas da União Europeia visam conter o avanço dos crimes de LGBTfobia principalmente na Polônia (e para que isso não se amplie!), onde cidades e vilas passaram a se declarar “zonas livres de LGBTQ”. A Hungria anunciou recentemente uma emenda constitucional exigindo que os alunos aprendam o conceito binário “cristão” de gênero. Em ambos os países, políticos homofóbicos de extrema-direita têm atacado os direitos LGBTQ+ usando isso como arma para atrair votos da população conservadora.

“Defenderemos os direitos das pessoas LGBT contra aqueles que agora têm cada vez mais apetite para atacá-los deste ponto de vista ideológico”, disse Jourova em entrevista coletiva. “Isso faz parte de um manual autoritário e não tem lugar na UE.”

“Ainda estamos muito longe da plena inclusão e aceitação que as pessoas LGBTIQ merecem”, disse Dalli, antes de acrescentar “Espero que possamos tornar a Europa um lugar melhor e mais seguro para todos”.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).