Segundo informações do site SkyNews, a entidade LGBT+ Albert Kennedy Trust (AKT) está aconselhando aos jovens a não saírem do armário durante este período de quarentena do coronavírus.

Em nota, o CEO da AKT, Tim Sigsworth, disse que é importante “pensar bastante” antes de se assumir para a família, já que hoje em dia ainda é frequente jovens LGBT+ serem expulsos de casa ou prefiram deixar o lar por não se sentirem confortáveis junto da família, em casos de discriminação de gênero e orientação sexual.

“Você não pode predizer nesses momentos completamente sem precedentes como seus pais podem reagir. Eles, assim como você, estão sob muito estresse e podem não reagir de maneira positiva”, disse Sigsworth.

Ele acrescenta que “todos somos instruídos a se auto-isolar, portanto, estar nas ruas deve ser o local mais perigoso para um jovem vulnerável no momento”.

O CEO contou que, durante o período de distanciamento social, como medida para evitarmos a disseminação do vírus, “pode ser um momento perigoso para uma jovem pessoa vulnerável”. Ele ainda informa que mais de três quartos dos LGBT+ em situação de rua saíram de casa após episódios de LGBTfobia.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Foto: Unsplash