Em Minessota, nos EUA, uma mulher está processando sua própria filha por ter se emancipado e transicionado de gênero. O caso agora está sendo analisado e será julgado pela Suprema Corte do país.

Já se passaram três anos desde que Annmarie Calgaro iniciou processo contra sua própria filha, que não pode ser nomeada na matéria por razões legais. Seus advogados alegam que seus direitos parentais foram violados com a filha decidindo transicionar de gênero – do masculino ao feminino – sem a permissão da mãe.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Recorrendo a cada instância, restando apenas agora apenas a Suprema Corte à mãe, já se passaram anos desde o primeiro processo. De qualquer forma, agora a filha de Annmarie tem mais de 18 anos, tendo todo direito e independência de realizar sua transição.

A jovem – ainda em um corpo masculino – abandonou a casa onde morava com a família conservadora e LGBTfóbica aos 15 anos de idade.

VEJA TAMBÉM:  Escritora baiana processa universidade UNIFACS por transfobia

Ainda que a mãe alegue amor, no julgamento, a filha contou que desde os 13 anos viveu em um ambiente turbulento e instável, com seus pais abusando dela mentalmente, sendo LGBTfóbicos, chegando a recusar comida a ela devido a sua orientação sexual e identidade de gênero.

A Suprema Corte agora deve tomar uma decisão decisiva e histórica quanto ao caso, que deve servir também como referência sobre os limites legais  dos pais em relação aos filhos e suas próprias questões individuais, como orientação sexual e/ou identidade de gênero.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).