A 3ª Vara Cível da Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, decidiu condenar a socialite Val Marchiori a pagar R$ 30 mil de indenização por danos morais à cantora Ludmilla por causa de um comentário feito durante a transmissão do carnaval de 2016 na Rede TV. As informações são do G1.

A cantora desfilava pelo Salgueiro com uma fantasia com aplique no cabelo e Val fez um comentário racista, ao vivo na Rede TV.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“A fantasia está bonita, a maquiagem… agora, o cabelo… Hello! Esse cabelo dela está parecendo um bombril, gente!”

A juíza Françoise Picot Cully afirmou que houve ofensa à honra de Ludmilla e de outras mulheres negras.

“Ao pontuar que o cabelo crespo visualizado no vídeo parecia com ‘bombril’, a primeira ré desqualificou um traço típico da raça negra, e ofendeu a honra subjetiva da autora. No cenário indicado, conclui-se que estão reunidos os elementos determinantes da formação do dever de indenizar”

E continuou, apontando que o comentário foi discriminatório e tratou de maneira pejorativa um traço dos negros.

“A primeira ré, ao atuar como comentarista de carnaval em rede aberta de televisão, colocou-se a tecer comentários pejorativos, de cunho racista, ao comparar o cabelo da autora com a palha de aço conhecida pela marca bombril. Neste ponto, é notório que são as pessoas de pele negra, majoritariamente, que apresentam cabelos ‘armados’ e volumosos, como uma de suas características peculiares, identificadoras da raça. Ao pontuar que o cabelo crespo visualizado no vídeo parecia com bombril, a primeira ré desqualificou um traço típico da raça negra, e ofendeu a honra subjetiva da autora”

O valor foi definido se baseando na renda financeira da socialite. A decisão prevê o pagamento de R$ 30 mil com correção monetária a partir da publicação da sentença e juros desde a data em que o comentário foi proferido.

A defesa acredita ainda que irá conseguir “esclarecer em juízo que a opinião proferida pela Val de forma nenhuma quis ser ofensiva, preconceituosa ou racista e que esses temas precisam ser combatidos sem banalização e de forma mais responsável, para que se possa verdadeiramente alcançar a mudança desejada na sociedade”.

 
 
 
 
Avatar
22 anos, geminiano, mineiro, jornalista formado pela UEMG. Apaixonado por música e artes de modo geral. Ex-bailarino na teoria mas danço nas festinhas bastante. Sonho em ser amigo da Rihanna e da família da Beyoncé. Provável futuro ex-bbb e quem sabe vencedor da Fazenda.