No último domingo (1), o Brasil se emocionou com a reportagem realizada pelo médico Drauzio Varella para o Fantástico, em que ele expõe a realidade de mulheres trans dentro dos presídios. 

Em um momento da matéria, o médico questiona uma das detentas, Susy, sobre a quanto tempo ela não recebe visitas. “há 8 anos”, é a resposta. 

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Solidão, não é minha filha?”

“Bastante…bastante”

O médico então se levanta e a abraça.

Ainda mais bonito que a reportagem, foi a repercussão que ela teve entre alguns usuários. Muitos se prontificaram a enviar cartas para Susy e então começou uma caçada para encontrar ela e saber como enviar as mensagens de apoio. Confira algumas reações:

VEJA TAMBÉM:  Escola infantil arrasa ao responder questionamento de pai sobre professor trans

Teve até quem separou os links com todo o processo para enviar uma carta a alguém em situação de cárcere.

VEJA TAMBÉM:  Vídeo explica o que acontece e como lidar com uma pessoa que tenta suicídio

Outra moça que comoveu a web foi Lolla, que está em liberdade condicional e mora com o pai. Ela contou à reportagem que, por estar no meio da sociedade novamente, não fica à vontade para expressar sua identidade de gênero feminina como gostaria, afirmando que no presídio era mais fácil.

Lolla está recomeçando a vida vendendo água no semáforo usando uma fantasia de palhaço. Logo após a exibição da reportagem, um perfil no Instagram foi criado para tentar a localizar. Depois que ela for encontrada, a ideia é criar uma vaquinha e colher doações para ajuda.

VEJA TAMBÉM:  Conheça a história dos irmãos gêmeos trans que transicionaram juntos
https://www.instagram.com/juntoscomalolla/?utm_source=ig_embed

Clique aqui para ver a reportagem completa no Globoplay.