Nesta semana, um advogado representante do governo de Hong Kong afirmou em uma entrevista que, caso LGBTs tivessem o direito de se casar no civil dentro do país, o casamento deixaria de ser especial.

“Reconhecer uma forma alternativa de relacionamento entre pessoas do mesmo sexo que nós dizemos ser equivalente a um (casamento) é minar a instituição tradicional do casamento e a família constituída por tal casamento”, afirmou o advogado, representando o governo Stuart Wong.

A declaração foi dada, após duas mulheres solicitarem no Supremo Tribunal Federal o direito de se casar no país. Segundo o site Gay Star News, elas alegaram no processo que estão sendo impedidas de ter direito à igualdade e privacidade.

Em meio a polêmica, o presidente Stuart Wong ainda deu uma declaração bastante preconceituosa na quarta-feira (29). “Nem todas as diferenças no tratamento são ilegais. Você não deve tratar casos desiguais da mesma forma”, declarou.