A ativista LGBT+, Julia Tsvetkovaz, foi condenada pela Justiça da Rússia a pagar uma multa pela publicação de desenhos que apoiam a causa LGBT+ em suas redes sociais.

No dia 10 de julho, a Rússia condenou a ativista sob a lei contra “propaganda de relações sexuais não tradicionais para menores”, adotada em 2013. A medida é constantemente utilizada para perseguir a população LGBT+ do país, criminalizando o que chamam de “propaganda homossexual”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Julia Tsvetkova, de 27 anos, relatou à “Agence France-Presse” (AFP), que foi multada em 75.000 rublos (cerca de 1.100 dólares americanos) por um tribunal em Komsomolsk. A ativista afirmou que ainda vai recorrer da decisão.

Segundo dados da AFP, as imagens compartilhadas eram: uma ilustração com duas bonecas russas apaixonadas e de mãos dadas sob um arco-íris; uma imagem da Catedral de São Basílio em Moscou com a palavra LGBT; e um desenho de duas famílias homossexuais sorridentes com seus filhos e a mensagem: “Família é onde o amor está”.

VEJA TAMBÉM:  57 homens são presos apenas por serem gays na Nigéria

Julia Tsvetkova também foi condenada em 2019 por “difusão de pornografia”, devido a seus desenhos e esculturas que representavam vaginas. Até março de 2020, a ativista vinha cumprindo sua pena em prisão domiciliar.