A assessora Lana de Holanda, que integra à equipe de gênero do gabinete da deputada Monica Francisco, do PSOL, é a primeira mulher trans a conquistar o direito de utilizar um crachá com o nome social na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

“O nome é algo tão básico para qualquer ser humano, né? Você ter o seu nome de acordo com o seu gênero, de acordo com quem você é. E para a gente, que somos mulheres trans, travestis, homens trans, é muito importante que tenha um nome feminino que defina”, declarou Lana ao G1.

Ainda na entrevista, Lana falou sobre as portas que essa conquista pode abrir para outras pessoas trans que trabalham na Alerj. “É importante que a partir da conquista do meu crachá, se crie mecanismos para que outras pessoas trans que venham trabalhar aqui tenham também seus nomes sociais respeitados no crachá. Tem um preconceito que é muito simbólico, que é você não ver outras pessoas como você trabalhando aqui”, afirmou.

Imagem/ Reprodução TV Globo

Além da função atual na Alerj, Lana também já trabalhou no gabinete da então vereadora Marielle Franco (Psol), que foi violentamente assassinada em março do ano passado.