Parece que o deputado baiano, Pastor Sargento Isidório (Avante), não aprendeu com seu último episódio LGBTfóbico envolvendo a cantora Daniela Mercury. No close errado da vez, o parlamentar reafirmou que órgãos genitais definem gênero.

“Meninos e meninas já veem (sic) com o carimbo de Deus, basta olhar entre as pernas. Não à toa a CNBB alerta que homossexualismo adoece nossos jovens”, escreveu Isidório, em seu perfil oficial no Facebook.

A fala ignorante e transfóbica foi feita logo após o presidente da república, Jair Bolsonaro (PSL), anunciar que o Ministério da Educação elaborará um projeto para proibir as discussões sobre “ideologia de gênero” no ensino fundamental.

“O AGU se manifesta sobre quem compete legislar sobre IDEOLOGIA DE GÊNERO, sendo competência FEDERAL. Determinei ao @MEC_Comunicacao, visando princípio da proteção integral da CRIANÇA, previsto na Constituição, preparar PL que proíba ideologia de gênero no ensino fundamental”, escreveu Bolsonaro, no Twitter.

O deputado baiano possui um projeto de lei que sugere a proibição de recursos públicos, “bem como o uso das estruturas e instituições da Administração Pública Direta ou Indireta, das Fundações, Autarquias e Empresas Públicas e Privadas prestadoras de serviços do Governo Federal, Estadual, Distrital e Municipal e outros, nas ações de difusão, incentivo e valoração da IDEOLOGIA DE GÊNERO”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em agosto, Isidório perdeu uma briga judicial contra Daniela Mercury. Na ocasião, ele precisou pedir desculpas publicamente à cantora, após declarações preconceituosas.

Ele também terá que pagar, por cinco meses, 25% do seu salário ao instituto Nice de Apoio a Mulheres Travestis e Transsexuais e ao Hospital Martagão Gesteira, que trata crianças com câncer.