A cantora Demi Lovato está se posicionando cada vez mais em defesa das pessoas trans.

A estrela pop de 28 anos compartilhou um post em seu Instagram questionando “Por que as festas de revelação de gênero – quando pais e mães grávidos revelam se esperam um menino ou menina – são transfóbicas”, causando mais danos do que se imagina.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Não se trata de ser politicamente correto, mas de ser correto. A recusa em reconhecer isso decorre de um mal-entendido sobre o que é transfobia ”, diz a legenda de Demi Lovato. “A transfobia não é apenas preconceito ou violência contra uma pessoa trans individual, é um sistema de crença que presume que as pessoas não trans sejam mais “naturais” do que as pessoas trans. Somente pessoas individuais podem determinar seu gênero.”

No próximo slide da postagem, a cantora continuou: “As revelações de gênero são baseadas na ilusão de que genitais significam gênero, e ainda que existem apenas duas opções ‘menino ou menina’. Esta definição apaga o fato de que existem meninos com vaginas e meninas com pênis e que existem pessoas que não são meninos nem meninas. A ideia de que o sexo é baseado na genitália é inconsistente com a ciência. ”

Cantora Demi Lovato (Foto: Reprodução / Instagram)
Cantora Demi Lovato (Foto: Reprodução / Instagram)

“A ironia é que pessoas trans e não-conformes de gênero são acusadas de promover uma‘ ideologia de gênero ’, quando na verdade estamos tentando escapar de uma ideologia”, diz a imagem final. “A verdadeira ideologia em jogo aqui é um sistema que romantiza a negação da individualidade a serviço da manutenção da categoria”, disse Demi Lovato.

Infelizmente, apesar do apoio de parte dos seguidores, muitas pessoas reagiram negativamente à postagem da cantora dizendo que ela “estava indo longe demais”.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).