O caso da música da dupla sertaneja formada por Pedro Motta e Henrique ganhou fama na última semana por trazer um contexto de transfobia. Não demorou para que o Deezer se manifestasse, mas o Spotify nem tchum.

Para entender, os dois lançaram a nova faixa “Lili” na Internet e foram massacrados por tanta ignorância e preconceito contidos na letra da música, que fala sobre um homem que foi “enganado” por uma travesti (mas ele se referem no masculino, “um travesti).

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A canção que fomenta o ignorante imaginário que se faz de que travestis e mulheres trans “enganam” homens cisgêneros heterossexuais para ficarem com eles sofreu muita pressão nas redes e fez com que plataformas de música se posicionassem.

O Deezer disse em seu Twitter: “Vou falar todas as vezes em que for necessário: eu não compactuo com transfobia. Já tirei a música da minha plataforma”.

Alguns internautas contestaram a decisão do Deezer de retirar a música alegando falta de respeito aos fãs da dupla, ou seja, “eu quero meu direito de ser transfóbico”.