Dandara do Santos foi uma travesti brasileira que teve sua vida tirada de forma cruel e brutal, em um espancamento coletivo realizado por vários homens no bairro de Bom Jardim, em Fortaleza, Ceará.

Na época, fevereiro de 2017, o caso ganhou grande repercussão após as imagens do linchamento cair na internet e nas redes sociais. O caso chocou o Brasil e o mundo, agora, dois anos após sua morte, ela ganhou uma escultura para honrar sua memória, em Manhattan, bairro de alto padrão de Nova York, nos EUA.

A obra de quatro metros de largura que ganhou o nome de “Dandara”

Em imagem de asas de borboleta, a obra de quatro metros de largura que ganhou o nome de “Dandara” foi feita pelo artista brasileiro Rubem Robierb. “Em homenagem à força e bravura da comunidade trans e GNC, ‘Dandara’ traz uma mensagem e um significado importante”, explicou o artista em entrevista à ABC.

Imagem de Dandara em vida

A inauguração da escultura, que ficará no espaço até 4 de maio de 2020, ainda contou com a presença da drag queen Peppermint, veterana do “RuPaul’s Drag Race”, e do âncora de meteorologia Sam Champion, da ABC News.