Lembram que semana passada a gente noticiou aqui a polêmica em relação a nomeação meramente política do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, para colocar Ivan Batista como coordenador de Políticas LGBT da cidade, né?

Pois bem. Como se sabe, Ivan Batista chegou a ser exonerado pela secretária de Direitos Humanos Eloisa Arruda a pedido de ativistas e do movimento LGBT, colocando no lugar o ativista Marcos Freitas.

E aí o que o prefeito fez ao invés de reconhecer a troca e publicar a nova nomeacão no diário oficial? Ignorou o movimento LGBT, demitiu a secretária (que inclusive estava investigando denúncias relativas a pasta) e manteve seu indicado político, Ivan Batista no lugar, sendo que este não tem qualquer ligação ou afinidade com ativistas e o movimento LGBT, que tem reclamado com razão.


Assista também:


A história ainda piora porque agora, a ex-secretrária da pasta, Eloisa Arruda, está acusando Ivan Batista de ter utilizado três trios elétricos da Parada LGBT de São Paulo para vender patrocínio para empresas sem licitação, segundo informações são da revista Veja e a rádio CBN. Maiores detalhes da negociação ilegal foram revelados pelo jornalista Paulo Sampaio e você pode entender melhor em seu blog, no UOL.

Além disso, a ex-secretária ainda afirma que houve apresentações de artistas contratados sem autorização para este tipo de procedimento.

O Ministério Público de São Paulo (MP) agora abriu inquérito para investigar o suposto ato de improbidade administrativa praticado pelo coordenador de Políticas LGBT da Secretaria de Direitos Humanos, Ivan Batista.

Procurado pelo portal da revista Veja, Ivan Batista negou as acusações e disse que vai se defender.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo afirmou estar investigando a denúncia: “A Controladoria Geral do Município apura o caso, mas os detalhes não podem ser divulgados até a conclusão dos trabalhos, quando serão tomadas medidas cabíveis.

Vale lembrar que, segundo informações do movimento LGBT da cidade de São Paulo, já há três cartas protocoladas e ofícios solicitando o contato do prefeito Bruno Covas, que até agora se negou a receber a militância para um diálogo que possa resolver enfim a situação.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).