A americana Andrea Jenkins acaba de fazer história ao se tornar a primeira mulher transgênero e negra a ser eleita a um cargo político nos Estados Unidos.


Assista também:


Com 73% dos votos válidos, ela conquistou uma cadeira no Conselho da Cidade de Minneápolis na última terça-feira (7). E o maior gostinho da sua vitória, é que ela derrotou o candidato republicano Bob Marshall, que inclusive fazia campanha contra o uso de banheiros públicos por pessoas de acordo com o gênero ao qual entendem pertencer.

“Como mulher transgênero e afro-americana, sei o peso de ser uma pessoa marginalizada, deixada de lado, jogada pra baixo do ônibus. Estes dias acabaram. Não quero só sentar a mesa na minha cadeira, quero participar efetivamente. Embora invisibilizadas, pessoas trans estiveram aqui sempre, e pessoas negras trans também”, afirmou Andrea em discurso de posse na quarta-feira (8).

Andrea e eleitora comemorando a vitória

Historiadora e poeta, Andrea tem 56 anos e transicionou de gênero aos 30. De acordo com o jornal The Advocate, ela seu compromisso de campanha é focar seu mandato em políticas que garantam igualdade de direitos e justiça principalmente para a população LGBT.

Mara Keisling, executiva do Centro Nacional de Igualdade Trans, afirmou que a vitória de Andrea manda um recado à sociedade: “Mostra que as pessoas trans estão ficando mais fortes e determinadas em seus espaços e conquistas, e não serão mais silenciadas por ignorantes como sempre foram.”

Veja também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).