Mais uma notícia que prova que a criminalização da homofobia ajudaria não só LGBTs, mas também heterossexuais.

A professora Deborah Lourenço, de 31 anos, foi agredida após ser confundida com uma lésbica enquanto passeava com sua mãe pela manhã do último sábado (24) no centro do Rio de Janeiro.

Para ajudar sua mãe a estacionar o carro, ela saiu do veículo para ajudá-la. Nisso, chegou um guardador de carro pedindo pra que ela pagasse pela vaga (pública, diga-se de passagem). Ela afirmou que já estava contando com ajuda de outro guardador, no que o homem se revoltou e a empurrou a chamando de “veado de merda”.


Assista também:


“Acho que por eu estar careca, ele achou que eu era lésbica ou transexual. Eu fiquei em choque na hora, muito surpresa”, relatou.

Deborah enfrenta atualmente um tratamento para vencer um câncer de mama descoberto em fevereiro deste ano. Seu marido escreveu um relato no facebook que acabou viralizando na rede. Leia abaixo:

O ataque foi rápido. O homem partiu pra cima dela, mas um guardador de carros que estava pelo local interviu na situação a tempo de que a agressão fosse realmente grave. As duas conseguiram entrar no carro e foram embora, fazendo com que a ameaça tenha sido mais um susto.

Deborah com o marido.

A educadora ainda afirmou que ficou chocada com a ousadia do homem: “Eu fiquei sem entender, de verdade. Eu não sou lésbica, nem transsexual. Mas, e se eu fosse? Com que direito alguém pode vir te agredir pela sua orientação sexual?”.

O autor da agressão infelizmente não foi identificado.  “Foi tudo muito rápido, nem consigo me lembrar direito do rosto dele. Não fiz boletim de ocorrência ainda, estou vendo como prosseguir”, contou Deborah.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).