Forças de segurança prenderam uma confeiteira egípcia no país por ter fornecido cupcakes com enfeites de pênis para uma festa de aniversário particular em clube esportivo em um bairro rico do Cairo.

No último exemplo das tentativas do Estado egípcio de controlar a moralidade pública, que tende a visar as mulheres, a chef foi presa em sua casa depois que os participantes da festa compartilharam as fotos dos cupcakes com pênis nas redes sociais.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A mídia estatal informou que as forças de segurança identificaram a Confeiteira egípcia depois de receber depoimentos de testemunhas. O caso atraiu a atenção do ministro da Juventude e do Esporte, Dr. Ashraf Sobhy, que supervisiona clubes como o Gezira.

Sobhy disse que seu departamento formaria um comitê para investigar o incidente e punir os supostos perpetradores. O confeiteira foi interrogada pelo mesmo tribunal de contravenções que recentemente julgou a atriz egípcia Rania Youssef sob a acusação de “desacato ao Islã e violação dos valores da família egípcia”, depois que ela comentou sobre seu próprio físico durante um programa de televisão.

VEJA TAMBÉM:  Casal gay é censurado em comercial na Polônia e youtuber relata perseguição a comunidade LGBT

Segundo o The Guardian, no início deste mês, duas mulheres influenciadoras do TikTok que cumpriram penas de prisão no ano passado por “violar valores familiares” e ferir a moral pública foram absolvidas.

Em junho de 2020, o renomado dançarino do ventre Sama El Masry foi preso por três anos e multado em 300.000 libras egípcias (equivalentes a £ 14.025) por violar os valores familiares e “imoralidade”.

O jornal Al Masry Al Youm noticiou que a confeiteira egípcia estava chorando quando chegou ao Ministério Público no Cairo. Segundo o jornal, ela disse aos interrogadores que os clientes do clube “vieram à minha loja e me entregaram fotos de órgãos genitais e me pediram bolos nessas formas”. Ela foi libertada sob fiança de 5.000 EGP (£ 233).