Após ser alvo de uma polêmica envolvendo corte de conteúdos LGBTs em seus conteúdos audiovisuais de bordo, a Delta Air Lines volta atrás e em um comunicado oficial afirma que vai mudar seus procedimentos quanto a filmes e séries LGBTs.

A empresa, que foi acusada de censurar cenas de beijo gay e diálogos que envolviam palavras como “vagina” e “lésbicas”, mesmo mantendo diálogos com palavrões, se pronunciou e culpou uma empresa terceirizada, a qual não quiseram revelar o nome, pelas edições e censura dos conteúdos:

Estamos implementando um novo processo para gerenciar o conteúdo disponível no entretenimento de bordo da Delta. Os estúdios, geralmente, fornecem vídeos de duas formas: uma versão original (como foi exibida nos cinemas e serviços de streaming) e uma versão editada. Selecionamos a versão editada e agora percebemos que o conteúdo dentro de nossas diretrizes foi excluído desnecessariamente. Estamos trabalhando para que isso não aconteça novamente“, disse um porta-voz da empresa.

A companhia aérea se comprometeu a substituir os conteúdos censurados pelas versões originais e ainda destacou que sempre incluiu filmes e séries LGBTs em seus catálogos, citando Moonlight como um exemplo.

Os parâmetros de conteúdo da Delta não pedem de forma alguma a remoção de conteúdo homossexual dos filmes. Valorizamos a diversidade e a inclusão como o núcleo de nossa cultura e missão e revisaremos nossos processos para garantir que o conteúdo dos vídeos editados não entre em conflito com esses valores“, disse a empresa em um comunicado enviado à imprensa.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA: