De acordo com uma denúncia pública, milhares de LGBTs na Tanzânia estão enfrentando pena de prisão de 30 anos no país só por serem LGBTs.

Paul Makonda, o prefeito da capital Dar Es Salaam, lançou um atentado homofóbico terrível na semana passada, no qual encoraja cidadãos a denunciarem pessoas LGBTs às autoridades.

As autoridades ainda vem perseguindo pessoas LGBTs através das redes sociais do país.

“Se você conhece algum homossexual, pode denunciar às autoridades. Nenhum pode escapar!”, afirmou o prefeito em um comunicado.

O presidente do país, John Magufuli, eleito em 2015, é assumidamente homofóbico e endossa a atitude. Ele já afirmou que todos devem condenar a homossexualidade no país.

O portal GayStarNews conseguiu falar com uma lésbica que vive na região.

“Eles estão falando sério. Nós, LGBTs da Tanzânia, estamos aterrorizados”, contou ela.

Se tem notícia de milhares de pessoas LGBTs capturadas e presas.

“John Magufuli é um tirano. Ele está usando seu poder para controlar as pessoas e nos eliminar da sociedade”, contou ela.

Em 2017, 13 ativistas LGBTs foram presos simplesmente por protegerem iniciativas de prevenção ao HIV no país.

O ministro da saúde, Ummy Mwalimu, também proibiu a venda de lubrificantes dizendo acreditar que o produto encoraja o sexo gay.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).