Bah Fernandes é mais uma cidadã como milhões que usam ônibus para se locomover pela cidade de São Paulo todos os dias.

No último dia 26, ela pegou um ônibus na Avenida Ibirapuera, região onde trabalha, e ao passar o bilhete único na catraca e se dar conta de que não havia saldo, pegou o único dinheiro que tinha na carteira e deu ao cobrador: uma nota de 20 reais.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Conforme seu relato, ele imediatamente fez cara feia, sendo que esta é sua função (e que ele deveria dar graças a Deus de ter, uma vez que maioria dos passageiros sequer precisa que ele esteja ali empregado, já que existe bilhete único e só em casos realmente excepcionais sua presença acaba sendo necessária).

No que Bah percebeu a cara feia do cobrador, tentou explicar a situação: “É a única nota que tenho e o crédito do bilhete acabou!”, o que nem necessário era uma vez que é obrigação dele ter troco até 20 reais.

VEJA TAMBÉM:  Mentiroso e descompensado, Bolsonaro diz que OMS incentiva homossexualidade em crianças

Com a maior má vontade do mundo, ele jogou em sua direção o troco: uma nota de 10 reais e as moedas, que ela recolheu dizendo “Não precisa ficar nervoso”.

Foi então que ele revidou: “Tinha que ser sapatão!” em alto e bom som para todo ônibus ouvir. Indignada justamente, ela pegou o celular e gravou as ofensas do cobrador.

Veja abaixo o post de Bah com o vídeo e fotos do momento. A publicação já contabiliza mais de 6 mil likes e 12 mil compartilhamentos no Facebook:

Fica o apelo à Bah para que PROCESSE SIM A SPTRANS E NÃO DEIXE ISSO PRA LÁ (é um processo rápido, principalmente com as provas obtidas), não só por ela e pela indenização que receberá justamente pelo constrangimento público ao qual foi submetida, mas por todos os LGBTs. Pra que fique a lição à empresa SPTrans, de que LGBTfobia não deve ser prática entre os funcionários do transporte público da cidade.

VEJA TAMBÉM:  Big Brother Portugal pune participante por homofobia; público decidirá se ele sai ou não da casa
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).