O rapper Curtis Jackson, de 50 anos, mais conhecido como 50Cent se manifestou e criticou a cultura do cancelamento, afirmando ainda que o maior alvo desta cultura são os homens héteros.

Na entrevista à Variety, 50Cent conta que acha injusto o ‘cancelamento’ de pessoas e que para a pessoa seja cancelada, ela deve fazer algo extremamente ruim, como ir para prisão, ou atirar em uma garota.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Você tem que fazer algo extremamente ruim para ser cancelado, e eu acho isso tão injusto com as pessoas que são canceladas.”, disse ele.

Ele continuou: “Se você fala algo sobre alguém que tem escolhas/opiniões diferentes, existem organizações criadas para começar a enviar coisas para obter assinaturas e outras coisas’’.

“Se antes (as minorias) eram inferiores, agora são superiores, porque (nós, os héteros) não temos organização. O maior alvo da cultura do cancelamento são os homens heterossexuais em geral”, afirmou ele , sobre as redes sociais.

VEJA TAMBÉM:  Em reabertura das academias no Rio, Smart Fit tem fila para cancelamento

O rapper afirmou também que o maior alvo da cultura do cancelamento são os homens heterossexuais e que ninguém se importa e defende os direitos deles, e lamenta que não existe nenhuma organização para isso.

E me diga uma coisa, como um homem heterossexual, quem vai enviar coisas para conseguir assinaturas com base em seus erros/fracassos? Não há ninguém. Não há organização.. O maior alvo são os homens heterossexuais em geral.’’, disse ele.  

 

Maikon Stefan
Amante do teatro, tv e de Harry Potter, formado em Técnico em Administração e Bacharel em Ciência e Tecnologia (UNIFESP-SJC). Atualmente cursa Engenharia de Materiais (UNIFESP-SJC). Também foi Presidente da Empresa Júnior (Ectm Jr). "Me chama pra causar que eu vou".