O presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Noël Le Graët, deu uma declaração lamentável sobre as recentes decisões de se impedirem gritos homofóbicos das torcidas nos estádios.

Não apenas no Brasil, mas no mundo todo, o assunto vem ganhando relevância e atitudes tem sido tomadas afim de se educar as torcidas tradicionalmente homofóbicas.

Em entrevista a uma rádio francesa, ele afirmou: “Eu pararia um jogo por conta de gritos racistas, claro. Mas não é a mesma coisa que homofobia isso!”.

Sem explicar por que uma discriminação deveria ser tolerada e outra não, ele continuou: “Comparar racismo a homofobia é errado. Estamos parando várias partidas por gritos homofóbicos. O governo elogia isso, eu não e me preocupa!”.

E continuou: “O futebol não inventou a homofobia, não é algo que os presidentes dos clubes devem resolver só para as câmeras da televisão”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Sua declaração foi obviamente muito criticada na França. E nem precisa explicar os motivos, né? Até quando homem branco hétero vai decidir o que é discriminação ou não com base em algo que ele nunca sofreu ou tem qualquer ciência ou vivência sobre, não é mesmo?

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).