O padre Bartolomeu da Silva Paz, da Paróquia Monte Serrat, tem sido acusado de promover orgias dentro do espaço religioso, no Largo da Batata. A denúncia foi publicada pela revista Istoé e trás o relato de um rapaz que alega ter sido violentado pelo religioso.

Elissandro Dias Nazaré de Siqueira, de 24 anos afirma que foi violentado pelo padre nas dependências da igreja, quando ainda era menor de idade.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ele ficava me ameaçando de morte. Ele tinha uma arma, ele me ameaçava. Ele escondia a arma no guarda-roupa dele, e falava que se eu dissesse alguma coisa ele ia matar a minha família. Eu tinha medo. Eu nunca quis estar com ele”, contou o rapaz.

Elissandro Nazaré alega ter sido violentado pelo padre (Foto: Jonne Roriz/ Istoé)
Elissandro Nazaré alega ter sido violentado pelo padre (Foto: Jonne Roriz/ Istoé)

Um processo judicial tramita desde maio na Vara Civil do Estado de São Paulo e detalha a realização de festas, com sexo, bebidas alcoólicas e música alta. Fotografias anexadas à ação mostram jovens musculosos festejando na piscina do local.

VEJA TAMBÉM:  Padre é pego filmando sexo no altar da igreja com dominatrizes

Os advogados Maristela Basso e Guilherme Dudus assinam o processo que tem mais de 700 páginas e um pedido de indenização de R$ 5 milhões por danos morais.

Estão entre os citados na ação o Cardeal Dom Odilo Scherer, arcebispo metropolitano de São Paulo; Dom Eduardo Vieira dos Santos, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo; Dom José Roberto Fortes Palau, bispo de Limeira (SP) e o padre Adauto Pereira de Castro.O último teria tentado violentar Elissandro, mas não conseguiu.

Dom Odilo Scherer nega as acusações em nome dele e de todos os representantes da Arquidiocese.