O rapper 50 Cent parece que sente muitas saudades de quando não era tão problemático fazer piadas envolvendo gays.

O músico quis fazer uma piada homofóbica com o amigo Young Buck em seu Instagram, mas acabou sendo muito criticado nos comentários.

Compartilhando uma foto de uma Parada LGBT, ele questionou na legenda: “Ei, a Parada do Orgulho LGBT 2020 foi cancelada? Tô perguntando pra um amigo, o Young Buck!”, dando a entender que isso fosse algo engraçado ou motivo de chacota para o amigo ir a uma Parada LGBT. Total falta de sensibilidade com o momento atual de quarentena e isolamento social e ainda por cima, homofobia.

Mas não é de hoje que 50 Cent faz piadas do tipo com Young Buck, seu amigo. Segundo informou o portal Pink News, em outra “trollagem online” ele chegou a ser transfóbico ao escrever: “Young Buck está quase pronto para lançar seu álbum. Ele trabalhou duro nesse projeto, eu disse a ele que sua escolha pessoal para namorar uma transexual confundirá parte de seu público, mas terá o apoio dos LGBTs, ele vai ficar bem.”

Em outro post ele foi ainda mais incisivo e transfóbico ao escrever: “Se você está se relacionando com uma travesti, você é gay. É isso!”. Como se não bastasse, no mesmo post ele ainda marcou gratuitamente a filha do jogador da NBA, Deyane Wade, que é transgênero.

Na ocasião, 50 Cent desenterrou uma foto de Dwyane Wade em um desfile de moda com o agressor sexual R Kelly com um balão onde se lia: “Ouvi dizer que você tinha uma filha agora?”.

Mas nada disso é novidade. 50 Cent sempre foi assim.

Resgatando seu histórico, e conforme o portal Pink News lembrou, uma briga de 2010 com o blogueiro Perez Hilton, o rapper tuitou: “Perez me chamou de idiota porque fiz meu amigo filmar um casamento gay. Só porque não era dele? Me sinto melhor!”.

No mesmo ano ele ainda sugeriu que homens que não dormem com mulheres deveriam “apenas se matar”: “Se você é homem, tem mais de 25 anos e não come b**eta, dane-se! Se mate e faça do mundo um lugar melhor”.

Em 2015 ele reclamou do a série “Empire – Fama e Poder” pela representatividade LGBT que trazia: “3 milhões de pessoas assistiram o Empire da noite passada! Vocês viram? Não podia ter mais coisas gays ou de celebridades!”.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).