O Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul entrou com uma ação civil pública contra a União alegando censura à propaganda do Banco do Brasil chamada ‘Selfie’, que mostrava diversidade em seu vídeo, não apenas em questões de gênero, mas também racial.

A propaganda incomodou tanto o conservador e assumidamente homofóbico, presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que ele mandou tirarem do ar imediatamente, pedido devidamente acatado pelo Banco do Brasil, que com isso, viu sua imagem ficar queimada sendo inundado de críticas nas redes sociais.

A ação do MPF pede à Justiça ainda que a propaganda volte a ser veiculada, conforme contratação original da mídia, e também solicita que a União pague, por dano moral coletivo, indenização de R$ 51 milhões, o equivalente a três vezes o custo do anúncio e sua veiculação. 

O valora da multa, se aplicada, deverá ser usado em campanhas de conscientização de enfrentamento ao racismo e à homofobia”, diz a ação assinada pelo procurador da República Enrico Rodrigues de Freitas.

O MPF do Rio Grande do Sul afirma que a proibição da propaganda fere leis das Estatais, que proíbe a redução ou a supressão da autonomia conferida pela lei e que veda o preconceito com base em raça e no sexo do indivíduo, justamente o que o presidente Jair Bolsonaro fez deliberadamente.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).