O sorvete Magnum veio a público se desculpar por um comercial controverso onde comparava a culpa de comer um sorvete a opressão em países com leis anti-LGBT, em uma tentativa falha de se falar em LGBTfobia, mas que acabou tendo o tiro saído pela culatra e sendo de extremo mau gosto.

A propaganda, veiculada em anúncios do Spotify e rádios trazia um locutor com medo de ser gay em seu país dizendo: “Um abraço em meu namorado. Este é meu pecado!”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

E continuava: “Porque no meu país, um simples abraço com o homem que amo pode me mandar pra prisão por mais de 10 anos!”.

O comercial então comparava a culpa e o prazer de se realizar o desejo de abraçar o namorado gay com a culpa e o prazer de se apreciar um Magno. Bem insensível e sem qualquer comparação, né?

“Por que diabos o Magnum está comparando viver sendo gay em um país homofóbico com experimentar um sorvete de chocolate?”, disse um internauta no Twitter em uma das milhares de reclamações ao anúncio.

VEJA TAMBÉM:  Estudante pede doações pra repor dentes que perdeu em ataque homofóbico

“@MagnumIceCream, sua propaganda comparando o risco de ser morto por ser gay em um país com a culpa por comer um Magnum é nojenta e homofóbica. Revejam isso urgente!”, disse outro.

Após o feedback negativo, a Magnum veio a público se desculpar: “Sentimos muito pelos que se ofenderem pelo comercial, cujo intuito era conscientizar as pessoas sobre as injustiças que LGBTs ainda sofrem ao redor do mundo.

Fica a dica aos publicitários: ter um LGBT consciente na equipe de criação é fundamental. A propaganda certamente foi criada por héteros completamente insensíveis à causa e ao que é ser LGBT de fato, vivendo com medo em um mundo LGBTfóbico.

VEJA TAMBÉM:  Polícia de Cuba prende ativistas e cancela Parada LGBT
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).