Em Houston (Texas, EUA) Alan Bischof, de 82 anos, casado com uma mulher há 35 anos, foi indiciado por homicídio culposo após o amante Craig LaMell, de 65 anos, morrer após uma sessão de sexo sadomasoquista.

Em entrevista ao NY Post, Alan relata que Craig pedia para ser agredido como parte de um fetiche. O caso que levou a morte ocorreu após mais uma sessão, em que a vítima foi levada a emergência. Sob pressão da família, Craig alegou que foi surrado pelo marido de uma mulher com a qual ele teria um envolvimento sexual.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O americano recebeu alta, mas precisou voltar ao hospital com hemorragia cerebral, morreu após uma semana de internação. O caso foi classificado como homicídio provocado por trauma na cabeça.

O envolvimento amoroso com Alan só foi descoberto meses depois, quando o ex-chefe do réu achou documentos com detalhes da relação dos dois no antigo computador do aposentado, que foi indiciado por homicídio culposo – quando não há intenção de matar.

A defesa alega que a agressão foi consensual e conseguiu liberar o idoso a partir de pagamento de fiança de US$ 50 mil (R$ 280 mil).