Enquanto a superlotação do sistema penitenciário da Indonésia entra em níveis críticos, um funcionário do governo disse que a superlotação das prisões resultará em “homossexuais e lésbicas”.

O funcionário do Ministério da Justiça e Direitos Humanos, que supervisiona o sistema penitenciário do país, Liberti Sitinjak, alegou que os presos têm cometido atos “depravados” entre eles.

“É assim, [a superlotação] resulta em pés tocando os pés, a cabeça encontrando a cabeça e corpos se encontrando com os corpos. O resultado disso é o surgimento de homossexuais e lésbicas”, disse ele.

Segundo Liberti, as prisões da província de Java Ocidental, por exemplo, têm capacidade para 15.658 detentos. No entanto, 23.681 estão encarcerados atualmente.

As autoridades da região apontam o código penal do país como o principal motivo das superlotações.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em 2009, o governo da Indonésia introduziu sentenças obrigatórias de até três anos para quem usasse narcóticos, fazendo com que a população carcerária aumentasse gradativamente.

Segundo dados locais, cerca de 60% dos presos da província são infratores da legislação antidrogas.

Fonte: Gay Star News