O autor Guido Rosa, vencedor do 3º Prêmio Rio de Literatura na categoria Novo Autor Fluminense, foi censurado pelo Facebook e suas políticas arbitrárias que não conseguem distinguir arte de pornografia ou conteúdo abusivo.

Não é novidade o comportamento de censura em redes como Facebook e Instagram, enquanto ao mesmo tempo se permite conteúdos realmente perigosos e abusivos, como quando vemos ofensas, mensagens de ódio e até crueldade com animais disparadas por aí em redes sociais.

Em seu Instagram, Guido, agora bloqueado de postar no Facebook – sua principal ferramenta para divulgação da obra – durante 30 dias, se manifestou de maneira indignada.

Conforme ele mesmo informou em seu post, a capa é um trabalho do Alair Gomes (1921-1992), precursor da fotografia homoafetiva no Brasil, cujo acervo se encontra na Biblioteca Nacional, que por sua vez já havia sofrido uma autocensura da genitalia masculina e que, mesmo exibindo apenas uma barriga masculina com uma nesga de pelos, foi censurado. 

Veja a imagem da capa abaixo e o manifesto do autor:

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Ver essa foto no Instagram

Divulguem por favor que a capa do meu livro "O complexo melancólico", vencedor do 3° Prêmio Rio de Literatura (dado pela Secretaria Estadual de cultura e pela Fundação Cesgranrio) na categoria Novo Autor Fluminense, foi censurado pelo Facebook e que eu, o autor, estou bloqueado por 30 dias da rede social que seria a base principal da divulgação da minha obra e do lançamento, que se dará em Junho de 2019. A capa é um trabalho do Alair Gomes (1921-1992), precursor da fotografia homoafetiva no Brasil, cujo acervo se encontra na Biblioteca Nacional, que por sua vez já havia sofrido uma autocensura da genitalia masculina e que, mesmo exibindo apenas uma barriga masculina com uma nesga de pelos, foi censurado. O prêmio, dado em 2018, permitiu a edição de "O complexo melancólico" (Editora Garamond), livro de contos que gira em torno do que significa um homossexual que é violentado pelo abuso sexual na infância e pela doença sexualmente transmissível na vida adulta.

Uma publicação compartilhada por Guido Arosa (@guidoarosa) em

Nos comentários, seguidores do autor reagiram justamente indignados: “Que ridícula essa política do Facebook! Eles não tem capacidade nenhuma pra discernir o que seria obsceno do que é expressão cultural, literária, etc.”, diz uma das respostas postadas no post.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).