O último teve grandes destaques e avanços entre atores, personagens e obras com representatividade LGBT, principalmente trans, mas isso não se refletiu nas indicações ao Emmy 2020. Anunciado ontem, o prêmio contou com sete indicações ao reality Queer Eye, além de outras séries como Euphoria e Pose, dentre outras.

Mas inicialmente comemorada, a representatividade LGBT no Emmy 2020 pareceu limitada a homens gays cisgêneros. A série Pose, por exemplo, apesar de tantos elogios da crítica ao elenco composto por tantos atores e atrizes transgêneros, não teve sequer uma única indicação do tipo. Da obra, apenas o ator Billy Porter – gay e cisgênero – foi indicado pelo papel de Pray Tell na série.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Nas redes sociais já começaram a aparecer insatisfações de fãs, produtores e até as próprias atrizes. Mj Rodriguez, Dominique Jackson, Indya Moore e Angelica Ross – todas transgênero e do elenco da série Pose – reclamaram de terem sido  completamente ignoradas. E pra coroar, a série também não concorreu a Melhor Drama este ano.

Steven Canals, co-criador de Pose, lembrou em seu Twitter como Mj Rodriguez foi elogiada pela crítica no papel de Blanca Rodriguez-Evangelista como sendo o coração de Pose. Em 2019, ela se tornou a primeira mulher trans a ganhar a categoria Melhor Atriz no Imagen Awards.

VEJA TAMBÉM:  Indya Moore discursa usando brincos que mostram trans assassinadas em 2019

Steven Canals tuitou indignado sobre a falta de reconhecimento de Mj Rodriguez: “Ok, vamos conversar… O que a Mj Rodriguez tem que fazer além de dar seu coração e sua alma em cada cena que atua de Pose pra concorrer a Melhor Atriz?”

Um internauta no Twitter chegou a questionar o motivo e sugerir que a academia deve votar com base nos nomes mais conhecidos. Ao ler isso, a atriz Indya Moore respondeu culpando a emissora FX pela “divulgação meia boca” das estrelas de Pose: “Olha a promoção vagabunda! Maioria de nós nem é convidado para os talk-shows, exceto MJ aqui ou ali. E muitos ainda ignoram seu trabalho. Eles não confiam na gente falando na TV ao vivo. Especialmente eu!”.

A diretora do Ms Foundation, Raquel Willis, também se pronunciou: “Vocês querem dizer que só atores cis merecem nomeações em uma série que coloca em protagonismo atrizes trans negras?! Vocês só podem estar de brincadeira! Mulheres trans negras que trabalham em Pose merecem mais reconhecimento, Emmy 2020!”

Hunter Schafer foi outro desprezo notável como atriz trans. Embora os fãs de Euphoria tenham comemorado a indicação de Zendaya na categoria Melhor Atriz Protagonista em Série Dramática, a história da adolescente trans Jules Vaughn é um dos pontos altos da série.

VEJA TAMBÉM:  Karamo Brown, do Queer Eye, diz por que acha o filme 'Me Chame Pelo Seu Nome' extremamente problemático

O portal Advocate lembrou outros artistas transexuais ou não binários de destaque que não tiveram qualquer reconhecimento: Jen Richards (Contos da cidade), Theo Germaine (Trabalhos em andamento), Shakina Nayfack (Transparent Musicale Finale), Ser Anzoategui (Vida) e Leo Sheng (The L Palavra: Geração Q).

Pra não dizer que o Emmy teve zero representatividade trans, ao menos a atriz Laverne Cox recebeu uma indicação pelo trabalho na temporada final de Orange Is the New Black. Rain Valdez, que retratou Belle Jonas em Razor Tongue, também concorre como artista revelação em série de comédia ou drama de formato curto.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).