O atual governador de São Paulo, João Doria, anunciou nesta última terça-feira (3) a retirada de um livro de ciências distribuído no segundo semestre deste ano para alunos da 8ª série do Ensino Fundamental. O motivo? O livro aborda questões de gênero e sexualidade.

A decisão foi anunciada pelo twitter do governador:
Fomos alertados de um erro inaceitável no material escolar dos alunos do 8º ano da rede estadual. Solicitei ao Secretário de Educação o imediato recolhimento do material e apuração dos responsáveis. Não concordamos e nem aceitamos apologia à ideologia de gênero“, escreveu ele em suas redes sociais.

No material, que já teve trechos sendo postados na internet, há um texto intitulado: “A Diversidade de Manifestações e Expressões da Identidade Humana“, onde se explica que “pluralidade e diversidade também se aplicam à forma como nos relacionamos afetivamente e/ou sexualmente com outras pessoas“.

Em outro trecho postado, o material se mostra didático ao explicar o que é sexo biológico, identidade de gênero e orientação sexual. Além de esclarecer sobre termos como “transgênero”, “cisgênero” e “bissexualidade” e ainda abordava questões como gravidez e doenças sexualmente transmissíveis.

Indo na contra-mão de alguns países desenvolvidos onde aprender sobre respeito e diversidade faz parte da grade curricular de pré-adolescentes e adolescentes, e sem analisar que esse material poderia contribuir para a diminuição da lgbtfobia no ambiente escolar, Doria classificou os textos como “apologia a ideologia de gênero” e ainda disse que “o responsável será punido“.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em um comunicado oficial, a Secretaria da Educação informou que os textos tem “conteúdo impróprio para a respectiva idade e série e em desarranjo com as diretrizes desta gestão. (…) O assunto extrapola os dois documentos, que tratam do respeito às diferenças e à multiplicidade de visões da nossa sociedade“.

Também foi informado que o governo vai instaurar uma comissão para analisar todos os outros materiais produzidos para as escolas.