A foto abaixo rodou a Internet e chocou muita gente ao mostrar três homens que participavam de uma manifestação pró-Bolsonaro no último domingo (7) na Avenida Paulista, agredindo uma mulher simplesmente porque ela era opositora às suas ideias.

Um vídeo do momento também chegou a ser registrado pelo repórter Chico Prado, da CBN, e teve milhares de compartilhamentos nas redes sociais:

Mas o que a cidadã fez pra isso? Algumas pessoas se perguntaram exatamente isso na Internet, como se o ato covarde de três homens contra uma mulher tivesse como ser justificado (tendo ela ou não razão em suas colocações)… Ela tinha se dirigido aos manifestantes bolsonaristas em defesa de Lula e citando críticas a Sergio Moro e o presidente assumidamente homofóbico Jair Bolsonaro. Eles não gostaram e partiram pra cima dela, que foi covardemente xingada, agredida, imobilizada e derrubada pelos três. A polícia, que tudo assistia, decidiu agir pra separá-los somente quando a vítima foi atingida por um mata leão.

Com a repercussão do caso, na Internet nos últimos dias, muitos pediam pela identidade dos agressores. Eis que foi descoberto agora que dois deles eram um casal gay: Janderson Soares Santana e seu marido Eliezer. Sim, um casal gay que apoiava o presidente que dizia publicamente até um tempo atrás que “se visse dois marmanjos de mãos dadas na rua ia bater”, que “filho gay era falta de porrada”, “que vizinho gay desvaloriza imóvel”, que “não aceitaria doação de sangue por homossexual”, que “gay ninguém gosta, apenas tolera”, dentre outros absurdos.

Jaderson Soares Santana e Eliezer – Reprodução facebook

Na famosa foto agredindo a mulher, Jaderson é o de camisa rosa claro e óculos e Eliezer o que veste camisa polo azul xingando a cidadã.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ainda segundo informações reveladas pelo portal Jornalistas Livres, Jaderson Soares Santana é mestre em Literatura e Crítica Literária pela PUC de São Paulo e trabalha no TRF-3 como analista judiciário (oficial de justiça). Em sua dissertação de mestrado, intitulada “As marcas do autor em ‘O Ano da morte de Ricardo Reis’”, apresentada em 2016, ele dedicou o trabalho ao marido: “A Eliezer meu companheiro e meus três filhos que dividem seu dia a dia conosco”.

No Facebook, o perfil de Jaderson – agora já deletado pelo próprio – foi inundado de críticas por pessoas que o reconheceram nas fotos e vídeos da agressão. Um colega chegou a postar a imagem e lhe perguntar: “Você se reconhece nesta imagem?”.

A reportagem também revelou que Janderson postava em seu perfil diversas mensagens de apoio a Bolsonaro e movimentos de extrema direita. Incoerente? Sim e muito. Mas infelizmente não surpreende.

O terceiro agressor continua sem a identidade revelada. Se alguém souber e quiser revelar, pode encaminhar sua denúncia ao [email protected]

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).