O deputado americano anti-LGBT, Wes Goodman, deixou o cargo na terça-feira (14) após ser flagrado enquanto fazia sexo com um homem em seu gabinete, segundo o diário “Columbus Dispatch“.


Assista também:


Goodman construiu a carreira política como um dos mais eloquentes opositores da causa LGBT e renunciou ao cargo pela “conduta inapropriada”, sem dar detalhes, depois de uma reunião com o líder republicano do Legislativo de Ohio, Cliff Rosenberger. “Fui alertado sobre os detalhes de seu envolvimento em comportamentos inadequados relacionados ao seu escritório estadual”, disse Rosenberger  ao Huffpost US. “Ficou claro que sua renúncia era a atitude mais apropriada para ele, sua família, os constituintes do Distrito da Casa 87 e esta instituição”.

A renúncia foi confirmada na quarta-feira em um comunicado divulgado pelo deputado. “Todos trazemos nossas próprias lutas e nossas próprias provações para a vida pública”, escreveu ele. “Isso tem sido verdade para mim e lamento com sinceridade que minhas ações e escolhas me impediram de servir os meus eleitores e o nosso estado de forma a refletir os melhores ideais do serviço público”. “Para aqueles que eu desapontei, me desculpe”, acrescentou.

“Os ideais de um pai e mãe amorosa, um casamento natural comprometido e uma comunidade carinhosa valem a pena perseguir e proteger”, escreveu em seu site oficial. Goodman regularmente publicava fotos de si e de sua esposa em seu site, onde ele também escreveu sobre a proteção de valores familiares. A página está fora do ar desde sexta-feira e a conta do Twitter de Goodman foi definida como privada.

VEJA TAMBÉM:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).