Para homenagear o matemático e herói de guerra Alan Turing, que foi preso em 1952 por ser gay e sofreu castração química, uma estátua seria construída em “king’s College”, em Cambridge, local que Turing estudou de 1931 a 1934.

A homenagem foi barrada pela Historic England, instituição responsável por proteger os edifícios e monumentos históricos da Inglaterra, que afirmou que a obra é uma ameaça a paisagem do lugar. 

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Reconhecemos que a proposta traria algum aprimoramento ao significado do King’s College através da introdução de uma escultura por um renomado escultor contemporâneo e da visível comemoração de Turing. No entanto, consideramos que a introdução de uma escultura atraente em uma posição de destaque dentro da paisagem da King’s estaria em desacordo com o caráter existente do Colégio”, afirmou Claire Campbell, da Historic England.

Campbell acrescentou que “isso [a construção da estátua] resultaria em danos, de natureza menos substancial, ao significado dos edifícios e da paisagem listados e, por extensão, da área de conservação”.

A coordenação do “King’s College” aponta que planejava a homenagem há algum tempo. No entanto, agora é preciso esperar ver se a resolução do “Cambridge City Council” (Conselho da Cidade de Cambridge, em tradução) concederá permissão de planejamento para a obra, apesar das preocupações da Historic England.

A estátua foi projetada por Sir Antony Gormley, um dos principais escultores contemporâneos, que, antes do posicionamento da Historic England, afirmou: “Estou em dívida com o King’s College e seu comitê por me dar uma oportunidade extraordinária de pensar nessa pessoa muito particular que abriu a porta entre a era industrial e a era da informação”.

Gormley ainda apontou que “em homenagem a Alan Turing e refletindo sobre sua notável contribuição para a maneira como vivemos agora, não quero fazer uma estátua, mas a melhor escultura que posso fazer”.