A apresentadora da Rede TV!, Luciana Gimenez, se mostrou completamente desinformada sobre o óbvio: a homofobia de Bolsonaro, uma constante dos últimos 30 anos no Brasil, que já foi exibida inclusive na sua frente (abaixo tem vídeo pra provar).

Em entrevista à revista Veja!, ela respondeu sobre a homofobia de Bolsonaro, quando o repórter Eduardo F. Filho a questionou sobre as críticas que recebe da comunidade LGBT+, já que muitos a consideram uma das figuras que mais deu visibilidade ao então deputado Jair Bolsonaro nos últimos 20 anos, um convidado assíduo de seu programa e que ganhou fama por declarações homofóbicas, racistas e misóginas.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Não tenho conhecimento suficiente para falar de política, mas, na minha frente, nunca o vi desrespeitar homossexuais”, disse Luciana Gimenez.

Ela aproveitou para dizer que defende a comunidade LGBT+ e sempre levanta estas pautas em seu programa, o que é verdade e inclusive nos últimos anos estas discussões tem sido levadas ao ar com a seriedade que merecem.

“Sempre protegi esse público. A maioria das pessoas que trabalha comigo é gay”, disse ainda.

Bem, se resta alguma dúvida à Luciana Gimenez de que Bolsonaro é homofóbico, fora ele já ter assumido isso em alto e bom som, ocasiões não faltam, inclusive no Superpop. Dá o play no vídeo abaixo Lu:

E nem precisa ir muito ao passado… Mesmo em seu governo como presidente, Bolsonaro já protagonizou ocasiões lamentáveis quando como ‘disse a um repórter que tinha uma cara terrível te homossexual’, quando disse que ‘usar máscara pra se proteger de covid era coisa de viado’ ou ainda ‘que o Brasil era um país de maricas’.

Ufa, sem dúvida então agora, né Lu?

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).