A youtuber Antonia Fontenelle se defendeu em seus Stories do Instagram da pergunta que muitos de seus seguidores andavam fazendo: afinal, ela queria criminalizar LGBTs?

Depois dessa história bizarra ter viralizado na Internet, a influenciadora veio em seus Stories dizer que isso era fake news, justificando que ela sequer teria poder pra fazer isso porque nem é política, colocando a culpa de tudo em “pessoas maldosas que estariam inventando” tudo isso.

“Parem de ficar postando fake news dizendo que vou criar lei pra criminalizar LGBTs. Eu nem posso fazer isso, não sou política”, disse ela a partir dos 2min do vídeo abaixo:

Pois bem. Acontece que Antonia disse sim isso em seus Stories dias antes.

Em suas palavras:  “Vou conseguir junto aos políticos que eu conheço pra criar uma lei pra criminalizar quem faz esse tipo de coisa. Estou me referindo a estes gays…”, disse em seguida se corrigindo da homofobia dizendo: “Estes gays não porque gays se respeitam… Mas estas pessoas…” criticando em seguida os LGBTs que a criticam desde alguns closes errados que ela deu com a comunidade LGBT e dos quais ela nunca se retratou (transfobia com Thammy, xingar “gays e viadinhos” em stories, apoio a maquiador gay apoiador de presidente homofóbico e que desmerece toda luta do movimento LGBT fazendo pouco da LGBTfobia, etc.)

Veja no vídeo abaixo após os primeiros 20 segundos do vídeo abaixo Antonia dizendo anteriormente que queria criminalizar LGBTs que a criticam em suas redes sociais:

Bem, ela tem todo direito de mudar de opinião, é claro. É inclusive muito bonito e digno se arrepender de falas erradas que a gente tem. Basta pedir desculpas, dizer que reconhece que falou errado, que aprendeu… Mas não é o que aconteceu. E não adianta querer dizer que é mentira algo que foi verdade, Antonia.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).