Uma hashtag no Twitter viralizou no final de semana no Canadá e Estados Unidos. A intenção era postar #ProudBoys com fotos fofas de casais de homens gays afim de responder da melhor forma um meme extremamente moralista e preconceituoso que viralizou em perfis LGBTfóbicos conservadores de supremacistas da extrema direita.

Na publicação original, tiravam sarro de um grupo de gays se divertindo em uma Parada LGBT, os comparando aos “homens considerados radicais”, todos de terno, e em sua visão limitada e preconceituosa, “respeitáveis”.

“Estes são os ‘garotos do Orgulho’. Ficam andando pelados em qualquer tempo e usando salto e dançando!”, dizia a publicação que completava abaixo: “E estes são os Nazis!” em uma comparação como se os de cima não merecessem respeito e o de baixo sim, afinal “estão devidamente vestidos terno e com a cara séria”. Veja abaixo:

Claro que a Internet se uniu na hashtag #ProudBoys e o número de fotos postadas com beijo gay acompanhado da hashtag exibindo casais homoafetivos demonstrando seu amor, foi muito, muito maior que o grupinho homofóbico de extrema direita de mentalidade atrasada, limitada e preconceituosa.

Mas o que chamou muita atenção e viralizou ganhando muitos elogios foi o post da conta oficial do Twitter das Forças Armadas Canadenses nos EUA, que participou da campanha com a foto mais linda!

Eles re-postaram uma foto do marinheiro Francis Legare beijando seu namorado Corey Vautour em Victoria em 2016, após retornar de mais de oito meses no mar. A publicação alcançou mais de 27 mil retweets e 220 mil curtidas. Veja abaixo:

Forças Armadas do Canadá participa de campanha #ProudBoys postando beijo gay entre oficiais. (Foto: Reprodução / Twitter)
Forças Armadas do Canadá participa de campanha #ProudBoys postando beijo gay entre oficiais. (Foto: Reprodução / Twitter)

A foto, do fotógrafo Brent Kenny para a Reuters, fez história viralizar por ser o primeiro beijo gay público de um membro da Marinha Real Canadense voltando pra casa e sendo recebido pelo seu amor.

O capitão Kirk Sullivan, que administra a conta do Twitter, decidiu participar da hashtag #ProudBoys depois de ver postagens semelhantes na manhã de domingo, disse ele ao HuffPost Canadá.

“Se você olhar para o nosso passado, nem sempre tratamos as pessoas de forma justa. Acho que é importante reconhecer isso ”, disse Sullivan. “É importante que as pessoas saibam, tanto internamente em nossa organização quanto externamente, o que defendemos, quem defendemos e quem somos. Defendemos a todos”, disse ele.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).