A Netflix ameaçou processar os organizadores da primeira Parada Hétero de Boston após eles terem anunciado que a empresa seria uma das patrocinadoras do evento anti-LGBT.

A gigante do streaming notificou a Super Happy Fun America, grupo que organiza a Marcha Hétero e que tem laços com grupos de extrema-direita e de supremacia branca nos Estados Unidos

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em um e-mail cuja captura de tela foi divulgada pelo portal Pink News, a Netflix escreveu: “Não temos medo de ameaças ou agressores. Nosso departamento jurídico está aqui”. A Super Happy Fun America recebeu ordem de remover imediatamente o logotipo da Netflix de todos seus materiais ameaçando processá-los caso isso não ocorra em 24 horas.

Netflix email
Print do e-mail da Netflix aos Organizadores da Parada Hétero

A equipe jurídica da Netflix ainda declarou em sua mensagem que a tal Parada Hétero “é um evento sobre ódio – e não sobre orgulho”.

Os organizadores da Parada Hétero reagiram e lançaram uma nota com título “A Netflix Odeia a Parada Hétero”, onde afirmam: “Acreditávamos que eles iriam aproveitar a oportunidade de se envolver em nosso movimento por direitos civis. Entendemos então que a Netflix é heterofóbica e baseada em ódio e fanatismo”.

VEJA TAMBÉM:  “Você Nem Imagina”: diretora revela história pessoal que inspirou o filme

Achou louco? Pois o post dos organizadores da Parada Hétero ainda continua: “Obviamente a Netflix não tem escrúpulos em usar sua posição de poder para ameaçar grupos marginalizados que estão exercendo seu direito de primeira emenda. Parece até que o departamento jurídico deles é composto por supremacistas gays, acostumados tanto a privilégios que se sentem ameaçados ao verem nosso ideal de igualdade hétero”.

Várias celebridades fizeram chacota, obviamente, dessa história de Parada Hétero. A Super Happy Fun America tentou inclusive usar Brad Pitt como garoto propaganda do movimento, mas foram forçados a apagar suas imagens usadas sem autorização por advogados do ator.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).