Para qualquer pessoa heterossexual cisgênero, o dia de ontem seria mais um dia comum com a possibilidade de ir doar sangue… Mas para Pedro Melo não. Fazendo parte de uma população que até semanas atrás tinha como negada a possibilidade de doar sangue simplesmente em função de sua orientação sexual, o advogado compartilhou em suas redes sociais a primeira vez em que pôde realizar a boa ação que ajuda a salvar vidas.

“Hoje, pela 1ª vez na vida, pude doar sangue. Sempre me recusei a mentir sobre a minha orientação sexual durante a triagem. Minha doação era negada porque sou gay. Hoje foi diferente”, disse ele em um desabafo bastante honesto em seu Instagram.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em seu post ele ainda lembrou nomes do ativismo LGBT que deram o sangue, com o perdão do trocadilho, para que a possibilidade de homens gays e mulheres trans doarem sangue no Brasil, fosse uma realidade.

VEJA TAMBÉM:  Ceará é o 1º estado a permitir doações de sangue de homens homossexuais

“Isso só foi possível graças a ativistas políticos como o Eliseu Neto, a partidos políticos como o Cidadania e tanta gente bacana que se abraçou e ingressou com a Ação no STF. Depois, pessoas como eu, e outras, agora lutamos para garantir que essa decisão fosse cumprida pela Anvisa. Hoje, todxs nós podemos doar sangue!”, comemorou.

Sobre a doação, tudo correu tranquilamente, garantiu ele: “Não dói, demora 15 min e você ainda ganha um lanchinho no final. Todos nós podemos ajudar um pouco. E, mais gratificante do que ter ajudado, foi ter percebido que consegui exercer um direito que antes me era negado apenas por ser quem eu sou. Isso não tem preço!”

Veja abaixo as três fotos compartilhadas por ele em seu Instagram. E fica a dica para todos os LGBTs que puderem doar sangue. É um gesto nobre e necessário, principalmente nos tempos atuais! Lutamos muito pra ter este direito… Então bora, lá?

VEJA TAMBÉM:  Doação de sangue gay não aumenta casos de HIV nos bancos de sangue

View this post on Instagram

Exercer a política também demanda se desapegar do direito à intimidade. Esse sou eu e esse é meu sangue. Hoje, pela 1a vez na vida, pude doar sangue. Sempre me recusei a mentir sobre a minha orientação sexual durante a triagem e anamnese prévia. Por isso, nunca passava dessa fase. Minha doação era negada porque sou gay. Hoje foi diferente. Disse quem sou e doei sangue. Isso só foi possível graças a ativistas políticos como o @eliseuoneto, a partidos políticos como o @cidadania23 e tanta gente bacana que se abraçou e ingressou com a Ação no STF. Depois, pessoas como eu, e outras, lutamos para garantir que essa decisão fosse cumprida pela Anvisa. Hoje, todxs nós podemos doar sangue! Não dói, demora 15 min e você ainda ganha um lanchinho no final. Todos nós podemos ajudar um pouco. E, mais gratificante do que ter ajudado, foi ter percebido que consegui exercer um direito que antes me era negado apenas por ser quem eu sou. Isso não tem preço! Vamos juntos! 🩸🏳️‍🌈❤️ #pedromelo #doesangue #saopaulo #lgbt #equalblood #doacaosangue

A post shared by P E D R O M E L O (@pedromelosp) on

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).