No Dia Internacional Contra a LGBTfobia (17 de maio), o candidato presidencial democrata norte americano Joe Biden atacou a agenda “odiosa” do governo Trump envolvendo as questões LGBT+.

“O governo Trump fez tudo o que pode para minar os direitos LGBT+: dando abrigo ao ódio e revertendo proteções para pessoas LGBT+, bloqueando indivíduos transgêneros de servirem abertamente a seu país, negando acesso para pessoas LGBT+ em situações críticas de saúde, não abordando a epidemia de violência contra pessoas trans, entre outras políticas odiosas”, escreveu Biden.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Hoje, muitas pessoas LGBT+ nos Estados Unidos vivem com medo, e ativistas LGBT+ em outros países, que frequentemente lutam desesperadamente por seus direitos e segurança pessoal, não têm mais certeza de que os Estados Unidos são amigáveis e aliados”, reforçou o candidato.

Biden enfatizou ainda que, se eleito, trabalharia além das fronteiras internacionais para “eliminar a discriminação e a violência com base na orientação sexual e na identidade de gênero”.

“Os Estados Unidos serão novamente um farol de esperança para pessoas em qualquer parte do mundo que sofrem violência e discriminação pelo simples fato de serem quem são ou quem amam. Vamos fortalecer a coalizão de países determinados a eliminar a discriminação e a violência com base na orientação sexual e identidade de gênero. Qualquer coisa a menos seria anti-americana”, observou Biden.

Grupos de direitos LGBT+ apoiam amplamente Biden na corrida presidencial após quatro anos de retrocessos na legislação sob o governo Trump.