Pra saber de qualquer assunto, é importante estudá-lo, né? Pois parece que é o que religiosos extremistas menos fazem ao tentar usar a bíblia para justificarem seus preconceitos… Pra começo de conversa que não existe uma sequer palavra de Jesus sobre a homossexualidade. Pelo contrário, tudo que ele veio a Terra pregar foi “amar ao próximo” e “não julgar”, algo exatamente na direção oposta do que fazem os preconceituosos.

Estudado e entendido (literalmente!) do assunto, o administrador Thallisson Figueiredo fez uma thread no Twitter onde explicou, ponto a ponto, em 15 motivos, o por quê a homossexualidade definitivamente não é um pecado.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Confira aqui seu tópico na íntegra no Twitter e passe dar seu RT e deixar sua reply! Descrevemos a seguir seus 15 argumentos:

  1. Antes de tudo vamos começar pelo inicio para nos familiarizar com o assunto. Essa ideia foi inventada na Idade Média pelos católicos que tbm mataram até canhotos usando a Bíblia, assim como negros, índios e mulheres! Pq não estaria acontecendo o msm erro com os gays? A igreja primitiva até mesmo realizava casamentos gays e há santos católicos que foram gays.

  2. Lucifer usou versículos isolados da Palavra para tentar a Jesus no deserto (Mateus 4:5). Todos os versículos usados contra os homossexuais na Bíblia são tirados fora de seu contexto, isolados e com traduções erradas.

  3. Na Bíblia, entre 30.000 versículos, há apenas 4 usados para afirmar que a homossexualidade é um pecado, não tem texto, apenas breves versículos: 2 estão repetidos no código moral dos judeus em Levítico, e os outros 2, em cartas de Paulo para igrejas de dois locais diferentes.
  4. Levítico 18 e 22 são versículos inseridos num contexto cujo tema é a idolatria pagã (Lev. 18:3, 21 e 24). A condenação é para os prostitutos cultuais, largamente condenando na Bíblia.

  5. Abominação vem do hebraico toevah, e é sempre usada num contexto de ritual religioso. Comer frutos do mar era considerado abominação na Lei Mosaica, por exemplo (Levítico 11:10). Homossexualidade está no mesmo nível que comer uma lagosta? Não parece ser tão mal assim…

  6. Paulo em Romanos 1:26-27 também condena a idolatria e os prostitutos cultuais assim como levítico, mas dirigida aos pagãos romanos. A idolatria como tema central do texto fica evidente pelos versículos 23 a 25. O versículo 26 inicia-se com a expressão “por isso”, ou seja, o que está explícito a partir desse ponto é o resultado das ações humanas descritas nos versos anteriores.

  7. Não há nenhuma clara condenação as lésbicas nesse texto, assim como em nenhum outro lugar da Bíblia. Por que ser gay é pecado, mas ser lésbica não? Vamos entender mais sobre.

  8. “Natural” e “natureza” vem do grego ”physin”(incomum, não usual) e ”infame” vem do grego ”atimia”, que também pode significar ”desonroso”, ambas palavras usadas em Romanos 1:26-27. Paulo repete essas duas mesmas palavras numa frase em 1 Coríntios 11:14, ao se referir ao costume dos homens gregos usarem os cabelos curtos: Se “natureza” na verdade significa “costumes” em 1 Coríntios 11, não poderia também significar “costumes” em Romanos 1? Paulo usou ‘’natureza’’ (physin) outras vezes para tratar de convenções culturais e costumes na própria carta aos Romanos (Romanos 2:14; Romanos 2:27), há um grande problema de lógica em usar esse texto para condenar os gays, pois o texto diz: “os homens, deixando o uso natural da mulher” a questão é: desde de quando homens gays fazem uso natural da mulher? Obviamente, esses homens não são gays, mas são héteros que motivados pelo culto pagão, fogem da sua natureza heterossexual para se deitar com outros homens! O verso anterior diz: “Porque até as suas mulheres”, suas mulheres de quem? Eram as esposas desses homens héteros ou dos gays? Obviamente, esse texto fala de homens e mulheres heterossexuais casados que se prostituem e adoram outros deuses em rituais orgásticos pagãos na Roma Antiga, como os famosos bacanais, a festa ao deus Baco.

  9. Coríntios 6:10, Paulo usa duas palavras gregas supostamente condenando a homossexualidade, malakoi e arsenokoitai (Quem lembra do vídeo do Felipe Neto com o marco Feliciano?). Elas já foram traduzidas de maneiras bastantes diferentes ao longo da história. A maior hipótese é que se trata de pederastia grega quando contextualizado com o texto de 1 Timóteo 1:10. Neste versículo é uma lista de pecados assim como 1 Coríntios 6:10, que inclui as palavras pornos (prostitutos) e andrapodistes (escravistas), além de repetir arsenokoitas. Em 1 Coríntios 6:10, malakoi e arsenokoitai é seguida da palavra kleptés, que significa ladrão. Logo, os meninos prostitutos da Grécia (os pornos ou malakois) são vendidos pelos “ladrões ou traficantes de homens (os andrapodistes ou kleptés) para os ricos homens da aristocracia grega (arsenokoitais). Ou seja, assim como Levítico e Romanos, Paulo também condena aqui a prostituição cultual, harmonizando com todos os textos bíblicos sobre o tema. Corinto e Éfeso são cidades gregas e pagãs, e Timóteo, servo de Paulo, estava em Éfeso (1 Timóteo 1:3).

  10. O apóstolo Pedro escreveu em sua epístola que as vezes Paulo escrevia em suas cartas trechos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem (2 Pedro 3:16). Se Pedro naquela época não entendia muito bem o que Paulo escrevia, imagine como confiar na interpretação atual, 2.000 anos depois! Como as Leis de Levítico foram abolidas, e Paulo foi um apostolo de difícil interpretação até para seus conterrâneos, logo, seria mais coerente recorrer ao Evangelho de Jesus.

  11. Em Mateus 19:12, Jesus fala acerca de 3 tipos diferentes de eunucos: os que se fazem eunucos pelo reino dos céus (os celibatários), os eunucos feitos pelos homens (os castrados) e fala de um tipo bem específico de eunuco, “os eunucos de nascença”. Quem seria uma pessoa que nasce eunuco? Obviamente, Jesus aqui usou uma figura de linguagem, assim como usou para falar dos celibatários.

  12. Eunuco na época de Jesus vem do hebraico “saris”. Havia uma categoria de saris no judaísmo, chamado de saris hamah (eunucos de sol), e segundo o Talmude, era homens com trejeitos femininos e que não apresentavam atração por mulheres desde o nascimento.

  13. Jesus disse que se você nasceu, se tornou ou se fez um “eunuco”, estas são condições dadas que impedem um homem de se casar com uma mulher, diferente de um hétero ‘’não eunuco’’, em que a este convém se casar (Mateus 19:11). Mas, Potifar era eunuco, e tinha uma esposa! (Genesis 39). Logo, não seria uma regra os ‘’eunucos’ não se casarem. O ponto crucial para entender esse texto está em como Jesus finaliza o diálogo: “Quem é apto para aceitar isto, que aceite.’’ Ser um dos eunucos é escolher aceitar a própria condição dada, não sendo uma regra. Jesus separa dois tipos de homens nesse texto: os héteros comuns e os ‘’eunucos’’. Um hétero sempre convém se casar com uma mulher, já um eunuco pode ou não se casar com uma mulher, sendo a única condição que faria ser ‘’eunuco’’ é não ser hétero, ou seja, ter ou não o desejo pela mulher: caso tenha, também se encaixa como um hétero, então convém a este se casar, mas caso o homem nasça sem a libido pelas mulheres, ou perca essa libido ao longo da vida, estes estão livres do paradigma do casamento indissolúvel dado no princípio (Genesis 2:24). Mais ainda há o homem que tem a libido, mas se abstém das mulheres pelo Reino dos Céus, revelando que o texto não se baseia em características físicas, mas internas.
VEJA TAMBÉM:  Fiéis distribuem carta em que Jesus promete vingança pelo casamento gay
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).