A boxeadora britânica abertamente lésbica, April Hunter, defendeu os direitos LGBTs compartilhando uma foto de si mesma beijando publicamente sua namorada nas Maldivas, onde a homossexualidade é crime.

A atividade sexual entre pessoas do mesmo sexo é estritamente proibida na nação e punível com até oito anos de prisão por não-muçulmanos. Ainda sob a lei da Sharia, os muçulmanos homossexuais podem ser multados, presos ou receber 100 chicotadas.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

No início deste ano, as Maldivas chegaram a ser classificadas como um dos países mais perigosos do mundo para viagens LGBT+, principalmente devido a total falta de proteção legal contra a violência homofóbica.

Isso não impediu Hunter, 24 anos, que corajosamente twittou uma foto dela beijando sua namorada no oceano paradisíaco. A legenda dizia: “Ainda é ilegal de ser gay nas Maldivas e em outros países muçulmanos, este é nosso pensamento”.

VEJA TAMBÉM:  Criminosos que espancaram casal de lésbicas vão a julgamento

Entretanto, poucos dias depois que postou a foto, ela foi avisada por amigos e familiares que ficaram muito preocupados com sua segurança e a convenceram de deletar a publicação. Sendo assim, o post saiu do ar pouco antes dela voltar pra casa no Reino Unido com a sua namorada, onde se encontram muito bem e seguras felizmente.

O Ministério das Relações Exteriores da Grã-Bretanha adverte que pessoas processadas por relações entre pessoas do mesmo sexo podem enfrentar “longas penas de prisão e multas”, enquanto a Human Rights Watch afirma que grupos extremistas nas Maldivas anteriormente “usaram as mídias sociais para assediar e ameaçar aqueles que promovem os direitos de Pessoas LGBT ”.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).