Inspiradas em recentes ações de drag queens negras por mais visibilidade à artistas LGBTs que não são brancos, queens asiáticas se uniram em uma nova campanha identificada pela hashtag #BrownDragExists nas redes sociais, pedindo visibilidade para os seus trabalhos e lembrando que até hoje o mercado mainstream drag também as exclui.

A ideia veio por iniciativa da queen muçulmana Asifa Lahore, depois de um post (super bem intencionado!) do Buzzfeed e do The Drag Bible, que fizeram um ranking de drags influenciadoras no último mês de abril. Até tinha bastante diversidade por lá, exceto adivinhe? Asiáticas! Criticados, tanto o Buzzfeed quanto o The Drag Bible reconheceram a questão e prometeram mais diversidade ainda nos próximos posts.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Essa tendência é predominante nas comunidades tradicionais de drag e LGBT+, sejam elas virtuais nas plataformas de mídia social ou em espaços físicos, como bares, clubes e Paradas LGBTs, onde poucos ou nenhum artista de drag asiático praticamente aparece”, disse Lahore.

VEJA TAMBÉM:  Cientistas explicam por que o glitter precisa ser cancelado urgentemente... mas há alternativa?

Ela lembrou ainda que até o maior reality drag da TV no mundo também faz parte disso: “A franquia Drag Race da RuPaul não apresentou uma única rainha de hereditariedade do sul da Ásia em suas muitas versões internacionais”.

Uma das artistas envolvidas na #BrownDragExists é Patruni Sastry, uma drag de 27 anos de Hyderabad, na Índia. “Mesmo na Índia, as pessoas colocam uma lente de ocidentalização na apreciação do trabalho drag. Embora artistas locais indianos de drag se esforcem constantemente para trazer características regionais, tudo se resume no final às mesmas drag de RuPaul”, disse ela.

South Asian drag artists performing for the #BrownDragExists campaign.

Ainda assim, Sastry lembra que algum progresso tem sido feito: “A Índia tem avançado nas suas criações e novos espaços em cidades como Hyderabad, Delhi e Bangalore tem surgido. Mas o país ainda precisa evoluir em aceitação e empoderamento de sua queens locais”.

VEJA TAMBÉM:  BenDeLaCreme e Jinkx Monsoon estrelam especial de Natal (fotos)

Outra drag indiana, Kama Sutra, compartilhou um vídeo da campanha e lembrou: “A ideia é mostrar a diversidade drag da Ásia e toda sua originalidade. Reunimos 27 artistas de todo o mundo pra mostrar que drag asiáticas existem por todos os lugares”.

Assista abaixo ao vídeo da campanha #BrownQueenExists:

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).