Ao se tornar o primeiro homem abertamente gay a ser capa da revista ESSENCE, o ator Billy Porter falou suas opiniões sobre pessoas que usam religião pra expressar homofobia.

A estrela de Pose apareceu na edição de julho / agosto de 2020 da revista com um vestido Aliétte e um chapéu de Christian Siriano, traje perfeito para discutir o clima político turbulento.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Por mais que os ativistas LGBT+ tenham conquistado direitos nos últimos anos, as mulheres trans negras ainda são mortas com frequência por serem quem são!”, lembrou.

Na entrevista, Porter, 50, pediu que o lema “vidas negras importam” seja estendido a todas as vidas negras, independentemente de orientação sexual ou identidade de gênero.

Falando aos conservadores negros, ele disse: “Todos vocês agem como se estivessem preocupados com a minha vida, mas não se preocupam com a minha vida como LGBTQ”.

“Se você acha que estou indo para o inferno, guarde pra você. Não preciso que você “me tolere”. Exigimos respeito por nossa humanidade!”

VEJA TAMBÉM:  Neymar responde ataque racista com insulto homofóbico

“Você quer que a polícia pare de ser brutal? Claro! E eu estou com você, mas nesse preto aqui, vocês não pensam 2x na hora de serem homofóbicos!”

Apesar de tudo, o ator se disse feliz por ver o discurso contra o racismo, a homofobia e a transfobia ganhar força na Internet: “Estou muito empolgado em falarmos sobre isso, porque somos nós que ocupamos posições de poder em nossa comunidade é que podemos mudar essa conversa”, disse ele.

“Nós, os negros LGBTQ+ precisamos de apoio e voz”, disse Porter. E concluiu: “Fazendo parte da primeira geração LGBT a ter direitos civis, sendo gay e tendo vivido a crise da AIDS, posso dizer que ativismo está no meu DNA”.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).