O estilista Marc Jacobs, dono de uma grife com o mesmo nome, teve a sua loja pichada durante os protestos que tomaram conta dos Estados Unidos contra o racismo, após a morte de George Floyd por um policial branco. 

Ao contrário de muitas pessoas que usariam a ação para atacar os protestos, o dono da grife de luxo foi as redes sociais defender e apoiar os manifestantes. Na publicação, Marc afirma que a população negra é vítima de vários tipos de violência há muitos anos, mas suas vidas, ao contrário das lojas, não podem ser substituídas.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

View this post on Instagram

#BLACKLIVESMATTER @surjnyc

A post shared by Marc Jacobs (@themarcjacobs) on

“Nunca deixem te convencer que um vidro ou propriedade quebrada é violência. Fome é violência, falta de moradia é violência, guerra é violência, jogar bomba nas pessoas é violência, racismo é violência, supremacia branca é violência, pobreza é violência, contaminar água apenas por lucro é violência. Uma propriedade pode ser reconstruída, a vida humana, não”, Marc comenta no post.

Em outra publicação, o estilista compartilhou o que havia sido escrito na placa da loja: o manifestante substituiu o nome de Marc pelo de George Floyd e Sandra Blanc, uma jovem negra detida por um incidente de trânsito e encontrada morta na prisão. Na legenda ele reforçou a mensagem de apoio ao movimento antirracista: “uma vida não pode ser substituída. Vidas negras importam”.