A torcida organizada LGBT+ do Cruzeiro, Marias de Minas, e o jornalista Guilherme Piu, do jornal Hoje em Dia, sofreram ameaças homofóbicas durante uma live realizada no Instagram da organização.

Durante a live, era discutido, entre outros temas, a situação do time de futebol, que vem passando por uma crise financeira e institucional. Durante o debate, alguns torcedores preconceituosos começaram a ameaçar a torcida e o jornalista.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Após o crime, o próprio Cruzeiro saiu em defesa da torcida Maria de Minas e do jornalista. “Prestamos nossa solidariedade ao torcedor @sennacec [criador do Maria de Minas] e ao jornalista @guilhermepiu, alvos de ataques homofóbicos e ameaças em uma live nesta semana. Não há mais espaço para comportamentos pautados no preconceito e no ódio. O futebol tem o dever de ser democrático e inclusivo”, afirmou o clube na postagem.

O jornalista foi as redes sociais informar que vai prestar queixa ao lado do movimento e que “Já relatamos o ocorrido aos órgãos, tanto o Sindicato dos Jornalistas de MG quanto entidades representativas do movimento LGBTQI, para que medidas possam ser tomadas”.

Guilherme Piu ainda conta que: “O Yuri Senna, a quem chamo de um ícone da torcida do Cruzeiro. Pela luta, pela batalha e força de vontade que ele mostra nessa busca por direitos básicos a qualquer pessoa. E, principalmente, uma luta por espaço e representatividade em um meio tão homofóbico e machista como o do futebol. Eles lutam por respeito e eu vou lutar junto com eles depois de tudo que vivi, e de tudo que aprendi”.

Foto: Divulgação/ Facebook