A unidade de bairro Anchieta, em Belo Horizonte, do supermercado Carrefour foi condenada na justiça a pagar R$ 30 mil reais de indenização a um cliente que foi chamado de bicha por uma funcionária do estabelecimento.

Tudo aconteceu porque, após esperar mais de 1 hora na fila, o rapaz reclamou com a caixa que só então avisou que não passava cartão ali. Com toda razão ele se queixou da falta de sinalização e aviso enquanto esperou na fila por muito tempo.

Ao ouvir a conversa, uma caixa ao lado se meteu na conversa e afirmou “O senhor ficou na fila porque quis! Ela avisou os clientes que foram chegando. Você além de intrometido é surdo e bicha?!”


Veja também:


Assista também:



Ao ouvir os insultos, a vítima não teve dúvidas e ligou para a polícia. Ambas as funcionárias envolvidas foram encaminhadas imediatamente à delegacia e tiveram que prestar depoimento.

Além de registrar queixa, o cliente buscou uma indenização na justiça e conseguiu. O desembargador Luiz Artur Hilário, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), ressaltou a responsabilidade do estabelecimento pela atitude de seus empregados, e que o comportamento foi comprovado mediante testemunhas e Boletim de Ocorrência.

O magistrado também lembrou da importância do combate à homofobia ao proferir na sentença:

“A sociedade brasileira como um todo precisa amadurecer, e muito, no respeito para com as diferenças de cada um, cumprindo ao próprio Estado reprimir toda e qualquer forma de preconceito e inferiorização das ditas minorias. Especialmente considerando os estudos apontados, que mostram resultados assustadores acerca da homofobia no Brasil: sete em cada dez homossexuais brasileiros já sofreram algum tipo de agressão, seja física ou verbal. Cresce violência contra pessoas LGBT; a cada 25 horas, uma é assassinada no País.”

Procurado, o Carrefour lamentou o ocorrido e disse que repudia qualquer tipo de discriminação e que tem como um dos seus principais pilares a valorização da diversidade junto a colaboradores, parceiros e a sociedade.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).