Um novo estudo do Journal of Developmental & Behavioral Pediatrics conduzido pelo pesquisador Wolters Kluwer relatou algo que não surpreende ninguém a não ser homofóbicos: crianças com pais LGBTs não tem qualquer característica desfavorável em relação a famílias tradicionais com pais e mães.

Parece óbvio? Ao ler um negócio desses a gente fica tão chocado quando a mulher da reportagem do buraco da rua abaixo, né?

Mas acontece que esse tipo de estudo não deixa de ser muito importante em tempos onde ainda existem famílias que até matam seus filhos por conta da sexualidade, como noticiamos ontem aqui.

O estudo analisou famílias de pais gays e mães lésbicas e casais heterossexuais com crianças de idade de 3 a 11 anos.

Sobre a “descoberta”, o professor Roberto Baiocco, PHD da Universidade de Sapienza de Roma, afirmou: “As descobertas sugerem que crianças de famílias homoafetivas tem desempenho semelhante em testes de adaptação psicológica quanto comportamento pró-social.”

E concluiu afirmando: “O estudo prova que legisladores ou qualquer pessoa que defenda sua retórica anti-gay, alegando que estas crianças não terão tanto amor ou apoio, são apenas pessoas cheias de ódio ou preconceito. Elas estão erradas.”

Veja também:

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).