A polícia da Indonésia prendeu um casal formado por dois homens gays sob acusação deles terem uma página LGBT no Facebook.

A polícia cercou a casa deles em Batununggal na última quinta-feira (18). A página dos dois, já retirada do ar da rede social, se chamava Gay Bandung, e se propunha a discutir diversidade e direitos LGBT em um país onde ser LGBT  atualmente é praticamente sinônimo de ser perseguido. Seus inscritos já somavam mais de 4 mil seguidores.

Print da página já tirada do ar.

“Eles conectavam pessoas que queriam fazer amigos gays e ter em quem se apoiar”, disse um informante. A polícia também confiscou ítens pessoais do casal, que até agora pelo menos, continua preso.

Até a metade de 2016, a homossexualidade era tolerada, desde que escondida e marginalizada, na Indonésia. Porém, grupos moralmente conservadores ligados ao movimento islâmico local começaram desde então a pressionar paulatinamente pela adoção de leis mais punitivas e de campanhas públicas contra a comunidade LGBT.

Desde então, a polícia persegue hoteis, bares, boates, saunas e festas para prender LGBTs pelo país. Alguns chegaram a ser agredidos fisicamente sob pena de chibatadas em praça pública.

Vale lembrar que o país tem a maior população muçulmana do mundo, e é onde a aplicação da sharia – que é a interpretação mais radical do Alcorão na forma de leis – vem ganhando força, com anuência governamental e de grande parcela da sociedade civil.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).