Um ataque covarde e brutal contra um casal gay que se beijava em uma plataforma de trem em Roma viralizou na web e levou a pedidos de uma lei contra crimes de ódio na Itália. Segundo o Queerty, o incidente ocorreu no fim de fevereiro mas só agora o vídeo se tronou público ao ser transmitido por uma TV italiana.

O vídeo foi compartilhado pela primeira vez no Facebook pelo grupo de direitos LGBTQ, Gaynet Roma, que disse que aconteceu em 26 de fevereiro na estação ferroviária de Valle Aurelia. Na filmagem, feita de um celular por alguém que assistia a cena, um homem é visto saltando sobre os trilhos do trem para chegar à plataforma onde o ativista LGBTQ local Jean Pierre Moreno e seu parceiro trocavam um beijo.

Moreno disse ao canal local GayNews que aconteceu: “Estávamos esperando o último trem para voltar para casa. Enquanto eu beijava meu parceiro, de repente ouvimos um homem gritar da plataforma em frente: “O que você está fazendo? Você não tem vergonha?”.

“Depois de responder: ‘Mas o que você quer?’ e ter retomado o beijo com meu parceiro, o cara cruzou os trilhos e se juntou a nós, primeiro acertando meu parceiro no olho. Assustado, ele tentou me levar embora, mas ferido, preferiu fugir. Mas eu fiquei lá, sem medo de encará-lo e continuando a perguntar quais problemas ele estava tendo”.

A prefeita de Roma, Virginia Raggi, do partido populista 5 Estrelas, tuitou: “Todas as formas de discriminação e violência devem ser fortemente condenadas. Episódios como este a um casal gay representam uma ofensa intolerável a toda a nossa comunidade”.

O político democrata Nicola Zingaretti chamou esse ataque de “inacreditável” e disse que agora é a hora de introduzir uma lei contra crimes de ódio. Também denunciou o ataque a política de extrema direita Giorgia Meloni, líder do partido Irmãos da Itália, que postou o vídeo no Facebook e disse estar “chocada com essa violência absurda e brutal em Roma.

Casal gay motivou projeto de lei

Um projeto de lei de crimes de ódio homofóbico foi apresentado na câmara baixa do Parlamento italiano em novembro passado, embora seja contestado pelo partido de direita, liderado por Matteo Salvini. A legislação foi aprovada na Câmara dos Deputados, mas atualmente aguarda debate no Senado.

Até o momento em que este artigo foi escrito, o agressor do casal gay que aparece no vídeo não foi capturado pela polícia. Se ele for preso, ele não poderá atualmente ser acusado de um crime de ódio devido à falta de tal legislação.